Guia sobre código de barras no Brasil

Guia completo sobre código de barras no Brasil

 

Começar a usar os tipos de código de barras numa pequena empresa pode parecer desafiador e um pouco caro para pequenos empreendedores.

Entretanto, a facilidade do uso do código de barras é imensa, pois além de ter um melhor controle do seu estoque, você pode saber qual o produto tem mais saída e, portanto, ter mais inteligência no seu negócio.

Se você está procurando utilizar o código de barras na sua empresa, este artigo vai lhe tirar algumas dúvidas de como obtê-lo, como os códigos de barras funcionam e como usá-los de forma prática e fácil.

O que você vai aprender?

  • O que são e para que servem os códigos de barras
  • Breve histórico do código de barras
  • Tipos de códigos de barras mais comuns
  • O que os números no código de barras significam
  • Quais as formas de obter o código de barras
  • Alternativas para compras de códigos de barras
  • Aspectos legais dos códigos de barras

O que são e para que servem os códigos de barras?

Os números que você vê atrás dos produtos geralmente com um fundo branco e barras pretas são os códigos de barras, também chamados de códigos UPC e EAN (os mais comuns).

Todo produto possui um número de código de barras único, portanto, se você tem uma massa de macarrão com 500g e outra massa da mesma marca com 200g, ambos precisam de um número de código de barras. Assim, para cada sabor, cor ou variação diferente do produto que pretende vender, você precisa de um número de código de barras único.

Os códigos de barras foram criados para facilitar a integração entre produtos, mercadorias, caixas, etc. com o estoque. Antigamente havia um grande problema com filas enormes em caixas e falta de controle dos estoques dos produtos. O código de barras surgiu como solução para isso.

Em 2006, a GS1 criou um modelo oficial para padronizar os processos de identificação de produtos e gestão comercial. Esse padrão é um código de barras linear alfanumérico que é utilizado em mais de 140 países. Ele permite que um grande número de informações sobre um produto seja colocado em um pequeno espaço disponível.

Cada linha preta que você vê no código de barras representa um número 1, e o espaço branco um 0. As 2 barras finas e mais compridas que ficam tanto no início quanto no fim do código sinalizam o início e o fim do código do produto. Elas facilitam a leitura do código de barras pelo scanner.

O sistema de código de barras GS1 é utilizado no mundo todo. Se você quer aumentar a produtividade, reduzir custos, aumentar o controle do estoque e diminuir as filas do caixa da sua empresa, então você precisa de um código de barras.

Histórico

Grandes supermercados e empresas que precisavam estocar seus produtos, sempre tiveram um enorme problema em gerenciar seu estoque e contabilidade. Para se ter uma ideia, alguns deles fechavam até 3 dias seguidos apenas para fazer o balanço, sem contar no amontoado de papel para fazer o controle.

Os funcionários tinham que analisar item por item manualmente. Para tomar decisões de compra, os gestores tinham que esperar esses dados. Muitas vezes, a única forma de controle era ver que o produto estava faltando na prateleira.

Em meados da década de 70, um grupo de executivos do setor de supermercados decidiu que precisava de algum símbolo ou representação numérica que pudesse ser escaneado para aumentar a velocidade na fila dos caixas. Eles fizeram algumas especificações e pediram a algumas empresas (entre elas a IBM) uma solução.

George Laurer, que trabalhava na IBM, ficou à frente do projeto e criou o código de barras retangular que conhecemos hoje, também chamado de Universal Product Code (UPC).

George Laurer

(Créditos para Bill Selmeier da idhistory.com)

O primeiro código de barras lido por um scanner foi o de uma caixa de chicletes em 1974.

No Brasil, o código de barras só entrou em vigor em 1984.